Uma breve história

O Departamento de Matemática da UFOP, desde sua criação, há mais de 20 anos, sempre teve, em seu quadro, docentes preocupados com as questões relacionadas à Educação Matemática, principalmente no que concerne à formação de professores de Matemática para a Educação Básica e à importância dessa formação para o exercício competente da docência nas escolas de Ouro Preto e região.

Na década de 1990, diante da quase inexistência de professores licenciados em Matemática na rede pública de Ouro Preto e região dos Inconfidentes, alguns docentes (em especial, a Profa. Marger da Conceição Ventura Viana) impulsionaram a criação do curso de Licenciatura em Matemática para a prática profissional docente na Educação Básica, diferindo substancialmente, para melhor, dos currículos da maioria dos cursos de Licenciatura vigentes à época.

Paralelamente, várias ações extensionistas (dentre elas, cursos de curta e de longa duração para professores de Matemática em exercício, avaliados e aprovados pela Pró-Reitoria de Extensão da UFOP) foram desenvolvidas junto às escolas da região, por docentes da área de Educação Matemática. Com a percepção do eventual crescimento da demanda por aprimoramento – que adviria, por um lado, dos participantes dos cursos de extensão acima mencionados e, por outro, dos futuros graduados na recém criada Licenciatura em Matemática – o grupo de docentes vinculado à Educação Matemática cria, no ano 2000, o curso de Especialização em Educação Matemática da UFOP.

Entre 2000 e 2009, a Especialização em Educação Matemática formou 70 alunos. Esse curso veio a ser o embrião do Mestrado Profissional em Educação Matemática da UFOP. A estrutura curricular, a qualidade dos trabalhos de conclusão produzidos e defendidos junto a uma banca de doutores, da qual participava pelo menos um membro externo, trabalhos esses fortemente vinculados com a prática docente escolar, com a sala de aula e com as questões relativas ao ensino e à aprendizagem da Matemática, nos diversos níveis e modalidades, foram características marcantes da nossa Especialização, as quais se transferiram naturalmente para o Mestrado Profissional em Educação Matemática.

Em 2005, é criado na UFOP o curso de Licenciatura em Matemática na modalidade a distância. Com o passar do tempo, o Centro de Educação a Distância (CEAD) da UFOP contratou novos docentes na área de Educação Matemática. Tais docentes começaram a desenvolver ações de extensão e pesquisa em parceria com os docentes da área de Educação Matemática do DEMAT.

Ao longo de todo o percurso citado, o ensino, a pesquisa e a extensão sempre fizeram parte das ações desenvolvidas pelo grupo. Os docentes / pesquisadores da área de Educação Matemática ministravam disciplinas na Licenciatura em Matemática, orientavam projetos de iniciação científica e trabalhos de conclusão de curso (de graduação e de especialização), além de atuarem nas ações extensionistas citadas (grupos PET da Matemática, programa de extensão, etc.). Dentre os alunos que concluíam a Licenciatura em Matemática e a Especialização em Educação Matemática, muitos buscavam uma oportunidade de dar continuidade aos estudos nessa área. Na época, Minas Gerais não oferecia muitas opções de Mestrado (Acadêmico ou Profissional) em Educação Matemática. Os programas existentes eram da área de Educação (Faculdade de Educação da UFMG) ou Ensino (PUC-Minas). Os poucos alunos com condições de se afastar de sua região precisavam, então, buscar em outros estados as oportunidades de continuidade de estudos.

Nesse contexto, em 2007, um grupo de docentes do Departamento de Matemática, com o apoio de dois doutores do Departamento de Educação, todos da UFOP, vieram a constituir o quadro docente inicial do Mestrado Profissional em Educação Matemática, curso aprovado pela CAPES nesse mesmo ano. Em 2008, ingressou a primeira turma. Em 2014, já consolidado no cenário nacional, o Mestrado Profissional em Educação Matemática da UFOP alcança o conceito 4 (num máximo de 5) na avaliação trienal da CAPES. O corpo docente também se transformou, e passou a contar com a participação de docentes do CEAD. Dessa forma, o Mestrado Profissional em Educação Matemática reuniu todos os docentes da UFOP titulados na área de Educação Matemática ou a ela vinculados por meio de sua produção científica e de seus interesses de pesquisa. Até junho de 2017, o curso contava com 91 titulados.

Paralelamente, uma nova demanda começa a se formar. Os egressos, muitos dos quais atuando em Institutos Federais, começam a buscar o Doutorado em Educação Matemática. Atualmente, não existe nenhum Programa de Educação Matemática em nível de doutorado no Estado de Minas Gerais. Nesse sentido, o corpo docente da área de Educação Matemática da UFOP, em parceria com o grupo de docentes da mesma área na UFJF, começa a construir uma proposta de curso de Doutorado em Educação Matemática, envolvendo as instituições UFOP e UFJF. Contudo, a proposta apresentada encontra resistência dentro do Departamento de Matemática da UFOP, não conseguindo aprovação em Assembleia Departamental, por não ser considerada de interesse para o DEMAT. A mesma proposta rejeitada pelo DEMAT é, então, encaminhada ao Conselho Departamental do ICEB e, nessa instância, aprova-se a submissão do projeto de curso de Doutorado em Educação Matemática à CAPES, ficando tal curso, uma vez aprovado em Brasília, vinculado diretamente à Diretoria do Instituto de Ciências Exatas e Biológicas.

Entretanto, como a maioria dos docentes da UFOP envolvidos no projeto do curso de Doutorado em Educação Matemática estão vinculados ao DEMAT, criou-se uma situação difícil de administrar, do ponto de vista dos encargos didáticos e da dedicação desses docentes ao eventual curso de Doutorado. Por essa razão, o processo de encaminhamento da proposta de Doutorado em Educação Matemática foi adiado e a ideia de criação de um novo departamento, abrigando os docentes da área de Educação Matemática locados no DEMAT e no CEAD, toma corpo. A perspectiva praticamente consensual em todo o DEMAT é a de que os valores e os conhecimentos associados às práticas acadêmicas das áreas de Matemática e de Educação Matemática são fundamentalmente divergentes. Tal divergência toma uma dimensão particularmente acentuada quando está em questão a pesquisa científica e a produção de conhecimentos, elementos fundamentais num curso de pós-graduação, especialmente num Doutorado em Educação Matemática. Assim, a permanência dos docentes da Educação Matemática no DEMAT, além de colocar dificuldades operacionais para o dia a dia do Departamento, pode levar a um entrave no desenvolvimento de ambas as áreas na UFOP, com reflexos mais fortemente sensíveis na Educação Matemática, tendo em vista que dentre os 39 professores efetivos do DEMAT, apenas 5 atuavam efetivamente nessa área.

Por outro lado, o Núcleo de Educação Aberta e a Distância (NEAD) foi aprovado pelo Conselho de Ensino e Pesquisa da UFOP em 12 de abril de 2000. Imediatamente, foram implantados os polos presenciais em Barão de Cocais, Nova Era e Paraopeba. Sucederam-se a constituição de outros 10 polos, abrangendo 88 municípios e 3.750 alunos em regiões diversas no estado de Minas Gerais.

Em dezembro de 2003, o NEAD constituiu-se em um centro aprovado pelo Conselho Universitário. Surgia, então, o CEAD como uma unidade acadêmica universitária. Em 2005, foi criado na UFOP o curso de Licenciatura em Matemática, na modalidade a distância, que foi aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Ouro Preto por meio da Resolução CEPE No. 2785. Em 2007, ocorreu a primeira oferta desse curso. Em 2013, o curso de Licenciatura em Matemática, na modalidade a distância, obteve conceito 4 (quatro) em avaliação realizada pelo INEP.

A partir de 2009, o Ministério da Educação, no âmbito do Programa da Universidade Aberta do Brasil (UAB), concedeu vagas de professores para o CEAD em diversas áreas, dentre as quais, estava a Educação Matemática. Esses professores concursados lecionam nos cursos de Licenciatura de Matemática e Pedagogia, na modalidade a distância, sendo que também desenvolvem ações nas áreas de pesquisa e extensão em Educação Matemática.

O corpo docente do Mestrado Profissional em Educação Matemática também se transformou e passou a contar com a participação de docentes do CEAD. Dessa forma, esse programa reuniu todos os docentes da UFOP titulados na área de Educação Matemática ou a ela vinculados por meio de sua produção científica e de seus interesses de pesquisa.

Nesse sentido, a criação de um Departamento de Educação Matemática viria responder a um anseio comum à grande maioria dos docentes de ambas as áreas do DEMAT, ratificando inclusive uma tendência internacional de busca de autonomia da Educação Matemática, tanto em relação aos Departamentos de Matemática como em relação às Faculdades ou Departamentos de Educação. Além disso, a criação deste Departamento atenderia fortemente aos interesses da UFOP, uma vez que o grupo de Educação Matemática desta instituição, hoje extremamente minoritário no DEMAT e no CEAD, passaria a concentrar todas as ações acadêmicas relativas especificamente à formação de professores de Matemática e à formação matemática de pedagogos da UFOP, além da conquista de autonomia para atuar de modo mais significativo no ensino, na pesquisa e na extensão.

Em síntese, a situação passa a ser um problema institucional, na medida em que um grupo de doutores, contratados pela UFOP para exercer plenamente as atividades de ensino, pesquisa e extensão, se vê limitado e até mesmo impedido de desenvolver-se profissionalmente e de contribuir, tanto para o desenvolvimento da instituição na qual atuam, como também (e consequentemente) para o desenvolvimento da Educação Matemática brasileira em geral.

A criação do Departamento de Educação Matemática no Instituto de Ciências Exatas e Biológicas atendeu, então, a uma necessidade institucional – alocar, de forma adequada, docentes da área de Educação Matemática, de modo a permitir seu pleno desenvolvimento profissional – possibilitando o desenvolvimento autônomo de uma área de ensino e de pesquisa na formação de professores de Matemática para a Educação Básica, bem como concretizando a integração de estratégias de ensino presenciais e a distância.

Em síntese, a criação do DEEMA proporcionou o aprofundamento da integração de atividades presenciais e a distância, desenvolvidas na pesquisa e na formação de professores de Matemática da Educação Básica.

A formação de professores que ensinam Matemática – tanto inicial (nas Licenciaturas em Matemática e Pedagogia, nas modalidades presencial e a distância), quanto continuada (por meio do Mestrado Profissional em Educação Matemática, de pesquisas realizadas pelos docentes e de ações extensionistas) – é o grande eixo de atuação do DEEMA. Dessa forma, articulando ensino, pesquisa e extensão, em duas modalidades (presencial e a distância), buscamos trazer importantes contribuições para a comunidade acadêmica e para o ensino de Matemática na região.